Home
_PRODUTOS

A embalagem longa vida, também chamada de cartonada ou multicamadas, é composta de camadas de papel, polietileno de baixa densidade e alumínio. Esses materiais em camadas criam uma barreira que impede a entrada de luz, ar, água, micro-organismos e odores externos.

Composição da embalagem longa vida:

1 - Papel duplex 75%

2 - Polietileno 20%

3 - Alumínio 5%

O papel duplex fornece a estrutura f√≠sica da embalagem, o polietileno impermeabiliza e liga as camadas, enquanto o alum√≠nio √© respons√°vel por proteger o conte√ļdo da luz e do oxig√™nio.

A Revita obtém sua matéria-prima de embalagens do pré-consumo fornecidas diretamente pelas fabricantes e as do pós-consumo são originadas por meio de coleta seletiva. A empresa usa sua tecnologia para garantir a integridade e a qualidade nas novas matérias-primas geradas.

A embalagem longa vida est√° presente em nossa vida, por toda parte e s√£o uma das formas mais seguras, convenientes, econ√īmicas e sustent√°veis de embalar alimentos e bebidas. Elas s√£o fundamentais para a vida moderna, uma vez que protegem seu conte√ļdo por um per√≠odo prolongado, preservando suas caracter√≠sticas de cor, sabor e valor nutricional. Os produtos esterilizados s√£o higienicamente envasados, sem a adi√ß√£o de conservantes e perfeitamente protegidos da luz e do oxig√™nio.

A reciclagem dessas embalagens, assim como o seu reaproveitamento, √© muito importante para a preserva√ß√£o do meio ambiente. Para que este processo aconte√ßa, cada consumidor deve descartar as embalagens ap√≥s o uso no lixo correto, o de res√≠duos recicl√°veis. Em muitos lugares essa sinaliza√ß√£o est√° clara, sugerindo a separa√ß√£o do org√Ęnico e do que pode ser reaproveitado.

Caso voc√™ n√£o encontre as duas op√ß√Ķes de lixo em sua cidade ou local onde mora, basta separar o que √© res√≠duo recicl√°vel e levar at√© um ponto de entrega volunt√°ria ou cooperativa.

CELULOSE
Fibras com mais resistência, produtos com mais qualidade.

A celulose reciclada Revita é utilizada na produção de papel, papelão, papel cartão, papéis higiênicos, telhas e outros produtos. Sua principal vantagem é ser a primeira reciclagem, ou seja, o tamanho da fibra é preservado. Por isso, a matéria-prima é uniforme, garantindo a qualidade da celulose.

Mas afinal, o que eŐĀ Celulose?

Invisível a olho nu, a celulose é encontrada dentro das células da maioria dos vegetais. Com característica fibrosa, é ela que garante rigidez e firmeza aos vegetais.

A extra√ß√£o da celulose se d√° principalmente nas florestas de eucalipto; √© uma das subst√Ęncias b√°sicas na fabrica√ß√£o de papel, mas as ind√ļstrias tamb√©m a utilizam para fabricar tintas, vernizes, pl√°sticos, filmes e diversos produtos qu√≠micos.

Por conta da grande extra√ß√£o que realizam, as ind√ļstrias de papel e celulose (e tamb√©m as sider√ļrgicas) s√£o apontadas como grandes reflorestadoras, utilizando o reflorestamento para fins comerciais, extraindo 70,8% de sua mat√©ria-prima de eucaliptos e 22% de pinus.

Essa pr√°tica permitiu que o Brasil se tornasse um dos maiores produtores de produtos de reflorestamento do mundo, sendo o papel e a celulose os maiores deles.

O papel é amplamente utilizado no mundo inteiro. Seu consumo vem duplicando a cada dez anos, e hoje representa 20% dos resíduos sólidos produzidos por nós, brasileiros.

Produzido a partir da celulose, extraída das árvores, o papel tem sido foco de diversas iniciativas que visam reduzir o impacto ao meio ambiente. Uma delas, e a mais importante, foi a adoção do manejo florestal sustentável, em que grandes áreas são reflorestadas por meio do plantio de mudas, diminuindo assim, os impactos ambientais.

A reciclagem da celulose também reduz a necessidade da extração de árvores. De acordo com a norma brasileira ABNT NBR 15755, de 2009, o papel reciclado precisa conter, no mínimo, 25% de aparas pós-consumo e, no máximo 50% de fibras recicladas. Essa norma certamente não tem como objetivo resolver os impactos causados no meio ambiente, mas ajuda sim, a minimizá-los.

O custo dos papéis reciclados é ligeiramente maior que o daqueles produzidos a partir de fibras virgens, mas quando incluímos nesse cálculo os benefícios ao meio ambiente - como a garantia da biodiversidade, regulação do clima, redução do carbono na atmosfera, conservação das reservas de água, etc - o custo do reciclado se torna infinitamente menor.

Podemos encontrar papel reciclado no miolo de livros, revistas, material promocional (folder, folheto, cartaz, mala-direta), convites, papelaria em geral, extratos banc√°rios, blocos, cadernos, agendas, calend√°rios e sacolas, entre outros materiais.

Ao ampliar o consumo do papel reciclado, ampliamos tamb√©m os benef√≠cios ao meio ambiente, promovendo maior qualidade de vida para todos e desenvolvimento para toda a cadeia: meio ambiente, cidad√£os e ind√ļstrias.

Na Revita é assim: ajudamos a construir hoje o mundo que desejamos amanhã!

Uma dupla solução.

O material resultante da reciclagem de embalagens longa vida, foco do trabalho da Revita, é uma mistura do termoplástico PEBD - Polietileno de Baixa Densidade com o alumínio, que é enfardada e enviada novamente ao ciclo produtivo de outras empresas do segmento. Esses fardos contêm, em média, 80% de polietileno e 20% de alumínio.

O alum√≠nio e pl√°stico reciclados praticamente mant√™m suas caracter√≠sticas f√≠sicas, podendo ser utilizados na fabrica√ß√£o de pellets para a ind√ļstria de pl√°stico, placas, entre outros produtos. Telhas ecol√≥gicas, feitas com esse material, ainda possuem caracter√≠sticas especiais: t√™m maior impermeabilidade, forte isolamento e s√£o mais flex√≠veis.

Pl√°stico ‚Äď conhe√ßa sua capacidade de reciclagem!

Usado na fabricação de diversos produtos e para diferentes finalidades, o plástico possui uma importante característica: a capacidade de manter sua forma pós-moldagem, aspecto fundamental para a reciclagem. No entanto, nem todos os tipos de plástico são recicláveis.

Considerando-se suas características de fusão e derretimento, os plásticos foram classificados em dois grandes grupos, denominados Termoplásticos e Termorrígidos.

Os Termoplásticos (PET: polietileno tereftalato, PEAD: polietileno de alta densidade, PVC: policloreto de polivinila, PEBD: polietileno de baixa densidade, PP: polipropileno, PS: poliestireno e PLA: poli ácido lático), utilizados na fabricação de produtos muito comuns do nosso dia a dia, como as garrafas PET, sacolas de mercado, garrafas de detergente, mangueiras, embalagens de remédio, fraldas descartáveis, caixas de bebidas, auto peças, pratos e copos descartáveis, bandejas e canetas, etc, são plásticos que amolecem quando aquecidos e endurecem quando resfriados, mas mantêm suas características químicas. Por isso, são ideais para a reciclagem, podendo ser utilizados na moldagem de novos produtos e formatos.

J√° os Termorr√≠gidos, tamb√©m denominados Termofixos ou Termoendurecidos, (PU: poliuretano, EVA: acetato-vinilo de etileno, Baquelite e Resina fen√≥lica), utilizados na fabrica√ß√£o de produtos como espuma para colch√Ķes e estofados, solado de cal√ßados, interruptores, utens√≠lios para banheiro, telefones, esponja de cozinha, chinelos, brinquedos, equipamentos de academia, brinquedos, tintas e vernizes, etc, diferentemente dos termopl√°sticos, n√£o derretem quando aquecidos, mesmo em altas temperaturas, impossibilitando sua reutiliza√ß√£o pela reciclagem convencional.

Alum√≠nio ‚Äď propriedades e possibilidades.

Na reciclagem de um quilo de alum√≠nio economiza-se a extra√ß√£o de cerca de quatro quilos do min√©rio bauxita, sua principal mat√©ria-prima. Um dos focos principais da reciclagem de alum√≠nio no Brasil s√£o as latinhas, utilizadas amplamente pelas ind√ļstrias de bebida. O processo de reciclagem do alum√≠nio d√°-se, basicamente, pelo seu derretimento ‚Äď sendo menos dispendioso e consumindo menos energia do que para produzi-lo do zero, com a vantagem de contribuir para evitar a cultura do desperd√≠cio.